domingo, 30 de julho de 2017

Esquerda: GGN e Chavismo

Querido diário:
Neste domingo, eu nem ia escrever nada aqui neste blog, estava brincando assistematicamente aqui e ali. E, naquele ali, fui dar uma olhada no site do Jornal GGN, um dos que selecionei como representativos da esquerda brasileira.

Todos sabem que me declaro esquerdista e, ao mesmo tempo, e por isso mesmo, descontente quando vejo burradas praticadas por meus colegas, para nem referir as minhas próprias. Pois do GGN só posso dizer que diabos de esquerda e jornalismo de esquerda são esses que, na parte superior da diagonal principal daquele retângulo que colhi de dentro de seu site (aqui), fala na queda do emprego e produção da indústria e, na parte inferior dessa mesmíssima diagonal, aponta para produção crescendo e emprego cadente?

Por falar em esquerda, vi uma chamada para as eleições da constituinte venezuelana (aqui). Informa-se que a esquerda brasileira "poupa Maduro de críticas e apóia constituinte". Pensei: é mesmo um país dualista: quantas esquerdas há, pelo menos duas, não é mesmo? Penso que um cara como Temer e outro como Maduro são animais do mesmo porte. Indivíduos que não se deram conta de sua incapacidade de conduzir pacificamente seus governos para algo decente.

A CNI é uma tragédia, Temer é uma tragédia, esses partidos que apoiam as eleições venezuelanas são outra e eu mesmo me declaro um tragédio, que não me conformo com nada disso.
DdAB
Seguiram-se algumas considerações:
Marcelo De Oliveira Passos: Outro ótimo texto, Duilio De Avila Berni.
Duilio De Avila Berni: Conheces minha auto-crítica, Marcelo: de iludido por parentes e professores sobre o "modelo de desenvolvimento correto", passei a iludir outros parentes e alunos com a mesma balela. Até que caiu-me a ficha: o problema é a desigualdade e jamais teremos dinamismo numa sociedade tão desabotinadamente desigual.
Duilio De Avila Berni: E mais ainda: aqueles que cultuam o fetiche da industrialização nunca aprenderam a diferença entre produção e produto e (nem sei o que é pior) pensam que "inovação" é um produto da indústria e não dos serviços.
Duilio De Avila Berni: Agora mesmo estava lendo uma revista feminina e vi propaganda de biquínis brasileiros na Austrália. Parece que estas "vantagens comparativas cultivadas" nunca foram cultivadas... Os biquínis, as sandálias havaianas felizmente chegaram ao mundo. E por que não fomos nós que inventamos a distribuição de café em grão na Europa? E a Starbuck? E uma rede de madeira de taquara? E outra de pedras semi-preciosas?
Marcelo De Oliveira: Passos Sim. Li em algum lugar algo como uma saca de café de 60 Kg custa R$ 460,00 e 50 cápsulas de Nespresso sai por mais de R$ 100,00. Só que uma saca dá para fazer, chuto eu, mais de 500 cápsulas. Ou seja, na aritmética de padeiro, R$ 10.000,00 de receita por cada saca comprada. É como dizia o Brizola: "são as perdas internacionais...", hehe.

Nenhum comentário: